Recomendado por Alexis Rodrigues

Alexis Rodrigues
Se você quer ler uma fanfic com um Bruce Wayne caindo na real e tentando de fato ser um pai pros seus meninos, essa fanfic é pra você! Tem drama familiar, tem cenas fofinhas, tem diálogos de te fazer gritar (eu sei que eu gritei), e outros de tirar o fôlego, que te deixam meia hora de queixo caído, e tudo isso sem sem enjoativo ou arrastado! Há uma delicadeza e sensibilidade notáveis da parte da autora na construção dessa fanfic, em especial, no que diz respeito aos paralelos de traumas vivenciados pela Batfamily. Super recomendo e amo muito (nem acabou ainda, mas já é a minha favorita de Batman!)
"_ VAMOS EMBORA! _ DISSE ELE."

Epa, epa! Para indicar a fala de um personagem, use aspas ( " " ) ou travessão ( — ). -> Ex. CORRETO: "Vou escrever uma nova fic" disse a autora. (Observação: Não escreva com as duas ao mesmo tempo, ou alternando entre uma e outra. Escolha um desses sinais e o use durante toda a fic. E não se esqueça de que são usados para marcar o começo e o final da fala!)
Logo, não use underline ( _ ) ou asterisco ( * ) para indicar uma fala ou ação. -> Ex. ERRADO: _Vou escrever uma nova fic_ disse a autora.
Também pode-se usar o discurso indireto. -> Ex. CORRETO: A autora disse que iria escrever uma nova fic.
Não misture em um só parágrafo discurso direto e indireto.

(1) APTO / (2) APITO

(1) Alguém apto é alguém que é bom para algo ou que possui uma tendência ou uma capacidade legal. Algo apto é algo que é conveniente ou característico para aquilo. -> Ex: Ele é apto para o cargo. (No sentido de ser bom para o cargo)
(2) É um pequeno instrumento de sopro para apitar ou assobiar. Também pode vir do verbo "apitar", que é "tocar o apito". Em jogos de futebol, pode haver a colocação de "apitar o jogo" no sentido de conduzi-lo. -> Ex: Não sei, eu não apito o jogo! Esse é o trabalho do juiz!

Recomendado por Annie Bitch

Annie Bitch
Então, não costumo comentar em histórias, recomendar então é quase milagre. Recomendei apenas uma história no nyah, e não sei bem o que dizer, mas senti que a sua história merecia. A Rainha de Copas me fez e rir e, deuses, me fez chorar também, coisa que sempre achei ridículo de se fazer, afinal, é apenas uma história, certo? Não, não é apenas uma história, pois algo capaz de emocionar alguém, não pode ser apenas uma história. Parabéns á autora por criar algo tão maravilhoso, e obrigado por compartilhar isso conosco.