Amor De Primavera

Você é meu amigo, com você não corro perigo


Fora um domingo extremamente ruim, mas havia passado. Matt não havia dado sinal de vida, na realidade, ninguém havia dado. Ela se levantou na segunda feira, entristecida, não queria enfrentar uma aula onde não poderia abraçá-lo, mas teria que fazer isso, se não ele poderia ser demitido e ela expulsa. Chegou no horário, dessa vez, e viu Mateus se agarrando com Elisa. Quando eles perceberam que ela havia chegado Elisa encarou Alice como se quisesse dizer: Eu sou melhor que você! Alice sorriu, e continuou andando. Ao longe, na sala dos professores, Matt via a cena com o sangue fervendo. Queria chegar até o garoto e fazê-lo pagar. Quando viu sua pequena sorrindo, ficou aliviado, ela estava o esquecendo, como ele esquecia de Monique cada vez mais. Já não lembrava como era ter os cabelos sedosos e morenos ao lado dele na cama, nem os ataques de TPM, que pareciam durar o mês todo, consecutivamente, o ano todo. Alice parecia mais leve, mais calma. Parecia mais com ele. O sinal soou e ele teria que dar aula na turma do ex dela. Ele já havia pensando no que poderia acontecer se o garoto saísse da linha só um pouquinho, teria que se controlar. Entrou na sala e viu todas as meninas suspirarem. Alguns garotos encararam o professor com um certo ódio. Daqueles que dizia: Como elas podem querer esse cara? Mas é claro que ninguém sabia que o coração do moreno alto já tinha dona. Uma loira que estava sentada a alguns metros tendo uma aula especialmente chata de Biologia.

Não quer ver anúncios?

Com uma contribuição de R$29,90 você deixa de ver anúncios no +Fiction e em seu antecessor, o Nyah, durante 1 ano!

Seu apoio é fundamental. Torne-se um herói!

Alice tentou não sentir dor, mas sentiu. Não era forte, mas existia. Ela ignorou e passou sorrindo pelo casal, o que fez os dois ficarem de cara no chão. Como ela pode ser tão vadia? Alice se perguntou. Quando chegou Sophia estava ali, a encarando preocupada.

- Você viu aquela cena?

- Se vi. - Disse Alice dando de ombros,- Mas estou pouco me fodendo pros dois. - Sophia sorriu, sua amiga estava mesmo apaixonada pelo professor. Queria que esse cuidasse da garota como um jóia rara. Ela decidiu que teria que conversar com ele, ela era como uma irmã para Sophia e irmãs cuidam umas das outras, não é mesmo? Atrás de Alice estava Elisa. Ela soltou uma risada de hiena para chamar a atenção da loira, que se virou com um certo ódio para a morena.

- Parece que você esqueceu Mateus rapidinho. Ele me contou que você estava seguindo ele na noite em que saímos. - Alice não pareceu preocupada em desmentir Mateus, se o fizesse, poderia acatar conseqüências graves.

- Bem, ele foi lá no orfanato implorar para que eu voltasse com ele. Depois que você deu a ele o que ele queria, ele foi atrás de uma garota que serve realmente para namorar, não para uma noite. - Elisa ficou furiosa, se pudesse, seus cabelos pegariam fogo e ela mataria a garota a sua frente. Elisa respirou fundo, afinal, a guerra entre garotas é feita de baixo dos panos. A professora de biologia chegou e as garotas se sentaram. Elisa tramava uma vingança, em quanto Alice sonhava acordada com seu príncipe que estava perdido em alguma sala de aula da escola.

- Alice... - Sophia a chamou, sem resposta. - Alice... ALICE! - Nesse momento a loira caiu da cadeira fazendo a sala entrar em um surto de risadas, o professor que entrava se assustou e teve que conter a vontade de abraçá-la e apenas falar uma frase:

- Alice, você está bem? - Quando a garota escutou a voz dele ela acordou do transe em que se encontrava dois períodos atrás. Havia perdido toda a aula de Biologia e de Matemática, mas nem se importava. Ela gostava de História quando a Gladis dava aula, mas agora ela amava. Ela se levantou de supetão e sorriu, rindo junto da turma.

- Tudo bem professor, eu estava desatenta e quando Sophia gritou eu tomei um susto. Eu sou desastrada assim mesmo. - Falando isso se lembrou da noite de sábado no quarto dela, ela caindo no chão e ele todo preocupado com a garota. Sorriu e voltou a se sentar.

- Bem, eu achei que seria legal você fazerem um trabalho em grupo ao invés de uma prova. Eu não quero ferrar com a vida de vocês, e nem com a minha tendo algumas centenas de provas para mim corrigir. Prefiro um trabalho de vídeo, que posso assistir em aula. - Toda a turma comemorou. Sophia teve que concordar que o cara era uma excelente pessoa, e tirando o fato que havia transando com a amiga no dia em que se conheceram, mesmo que não soubesse as circunstâncias, o cara era maneiro. Ela sorriu e levantou o braço:

- Sim Sophia? - Pediu o professor com uma certa vergonha, já que a ruiva sabia que ele e Alice estavam juntos.

- O trabalho seria sobre o que, mais precisamente?

- Cada grupo terá uma época na história, terão que fazer um vídeo do que acharem mais importante da época. Vai ajudá-los a revisar a matéria para o vestibular. E então o que acharam? - Toda a turma concordou e achou incrível, Alice não conseguia participar da aula como antes, ela culpava a vergonha que tinha quando estava com os amigos e colegas.

- Vocês escolhem os grupos e eu a época. - Então a sala se tornou uma bagunça incontrolável. Alice, Sophia e mais Camila, Júlia e Manuela formaram um grupo. Acabaram pegando a época do Egito antigo, o que fez Alice pular de alegria, ela amava história antiga.

Não quer ver anúncios?

Com uma contribuição de R$29,90 você deixa de ver anúncios no +Fiction e em seu antecessor, o Nyah, durante 1 ano!

Seu apoio é fundamental. Torne-se um herói!

- Ah, não acredito! - Alice disse, chamando a atenção do professor, - Essa é a época do Egito antigo, não quero saber, vamos fazer sobre isso. Faço toda a pesquisa, mas temos que fazer sobre isso! - Sophia e as amigas riram, o professor esboçou um sorriso de canto, mas não deixou transparecer que também amava a história antiga. Na realidade, era o que mais lhe interessava e se arrependia de não ter feito arqueologia.

- Calma Alice, está... Chamando a atenção de todo mundo. - Alice parou e viu que toda sala, inclusive Matt a olhavam. Ficou vermelha e depois roxa e parou de fazer escândalo.

- Bom ver que temos alunas entusiasmadas com o trabalho. Se precisarem de ajuda com a pesquisa é só pedir. - Ele disse rindo. Alice ficou mais vermelha ainda e então se sentou com as amigas planejando o trabalho.

O sinal do recreio soou e então todos saiam da sala. Sobrava apenas Alice e suas amigas ali. Alice queria, é claro, falar com o professor, mas Sophia a fez sair da sala e a fechou atrás dela.

- O que Sophia quer com o gostosão do professor. Ela sabe que não pode namorar o cara não é? - Manuela pediu, rindo.

- Mas bem que todas nós queríamos, não é? - Júlia disse. Alice sentiu uma pontada de ciúmes mas se calou, elas não poderiam saber a verdade. Mas também se perguntava: Que merda Sophia queria com Matt?

- Olha, eu sei que você sabe que eu sei de tudo. Ou quase. - Sophia disse olhando o professor com firmeza. - Eu acho vocês dois super fofo e tudo, mas se você ferrar com a Alice, cara, você está fodido. Por que ela é minha irmã cara, e não vou deixar ninguém brincar com ela como o outro fez.

- Sophia...

- Não, eu sei que não deveria me meter nisso, mas sabe, eu já via ela caindo várias vezes e não quero que isso aconteça de novo.

- Sophia! - Então a ruiva parou de falar e encarou o professor que sorria. - É bom saber que ela tem alguém que cuide dela Não, eu não estou brincando com ela, é mais como...

- Amor a primeira vista? - Sophia pediu, rindo.

- É, e eu nunca acreditei nisso, sempre achei uma...

- Bobagem? É Alice costumava me dizer isso.

- Costumava? - Questionou o professor, duvidoso.

- É no passado. Parece que você mudou a opinião dela. Só... Só me prometa que vai cuidar dela ok?

- Ok.

- Ah, e convença ela a vir no baile de máscaras, estou tentando mas ela usa o orfanato e o fato que ela não tem um par para não ir.

- E quem disse que ela não tem um par?

- Que coisa fofa, acho melhor eu ir antes que ela tenha um ataque. - Sophia saiu da sala sorrindo, sua amiga parecia ter encontrado um cara de ouro dessa vez. Se deparou com Alice a encarando com um certo ódio, de certo ela havia roubado algumas momentos muito bons entre ela e o professor. Em quanto Sophia se aproximava das amigas o celular de Alice tremeu. Ela pegou e viu uma mensagem: Você tem uma grande amiga Alice, não deixe ela escapar por nada. Quero falar com você depois da aula, topa um almoço? Alice ficou feliz com o que leu e respondeu: Sophia fez o que??? Bem, você me conta no nosso almoço. E enviou. Sophia via as mensagens pelas costas da amiga e sorria. Matt, que estava rodeado das professoras sentiu a resposta a mensagem chegar e teve que pedir licença para respondê-la: Tudo bem minha peque, nos falamos no almoço. E então voltou a conversar com os professores, mas tinha vontade de descer ao pátio para falar com a loira. Já ela queria achar um desculpa para invadir a sala dos professores e tirá-lo dali.